14.11.07

«The Secret»



Fala-se por aí, à boca cheia, deste título e de todo o sucesso que tem feito por esse mundo fora. Ao que parece, surge como uma nova teoria de auto-ajuda onde é revelado que, sozinhos, podemos mudar tudo o que quisermos na nossa vida, isto desde que, consigamos controlar e aprender a usar a Lei da Atracção. Segundo dizem, trata-se de uma lei natural em que, nós conseguimos atrair tudo aquilo que pensamos, seja positivo ou negativo, e, assim sendo, poderemos adquirir o poder de modificar o que nos desagrada na nossa vida.

Até que pode ser. Fiquei curioso!



monge

7 comentários:

Anónimo disse...

bah! parece-me uma grande tanga... então porque é que a loiraça lá do prédio ainda não me bateu à porta, e de forma muito mansa e sensual, segurando uma garrafa de tinto na mão(para a coisa ser completa), se insinua nos meus modestos aposentos, procurando a cama, larga e fofa, qual ninho que nos acolhe aos dois... ah?? se fosse só pensar...

monge disse...

ó claudino

quer dizer, queres dado e arregaçado!? não te chegava só a loiraça como ainda querias a garrafosa! fino!!
ouve lá, tal ainda não aconteceu porque, se calhar, julga-lo como algo inatingível, um osso que não te sentes capaz de rilhar. ó homem, faz-te à vida, sobe as escadas (duas a duas) com uma garrafa em cada mão ... quem sabe não é isso que ela está a pensar e deseja ardentemente. se a cama não for fofa, não tomes isso como uma fatalidade ...

avelaneiraflorida disse...

Amigo Monge,

Hoje em dia vendem-se certos livros como cerejas...
Descobriram-se vários filões, a partir do Dan Brown!!!!!!

Sinceramente, acho que há melhor literatura para ler!!!!
A não ser que não haja mesmo mais nada ali à mão!!!!!
UM BOA NOITE!
BJKS

monge disse...

Olá amiga avelaneira

Agradeço muito a tua sinceridade, sei que há melhor literatura para ler e conheço perfeitamente essa onda de filões de letras escarlates e doiradas que enxameiam as vitrines das livrarias e os corredores dos hipermercados. Quanto ao Dan Brown, devo dizer que o seu "código", foi dos livros que li em tempo record e continuo convencido de que, apesar da possível jogada que possa ter havido, considero-o um livro com carradas de cultura. Relativamente a este livro, despertou-me a ideia da lei natural, isto porque andam cá por casa uns livros a cirandar que falam desse mesmo tema,e, aos quais ainda não me "botei" por absoluta falta de tempo. No entanto, continuo curioso.

bj

monge

Anónimo disse...

Boa camarada...
a cusiosidade é sempre um início... uma ponta do novelo, agora... falta descobrir o que está no outro extremo. Se for aquilo que desejamos ou mais, tanto melhor... se não, valeu pela viagem!
Partilha as tuas descobertas para as tornar mais valiosas!!!

monge disse...

Oi bacão

Pois é meu amigo, pela ideia é que vamos, precisamos de aparelhar a vontade para encetar a viagem e partir sempre com ânsia de chegar. Caminhando se faz o caminho.
Quanto às partilhas o desejo é recíproco; sopra também dai uns ventos que renovem este ar já bafiento que nos rodeia ...

abraço camarada

monge

Moedas Duarte disse...

Lei da atracção?
Já vi e tentei pôr em prática. Passei umas horas no BANCO mas a conta bancária nem se mexeu.

Ao fim e ao cabo estes livros têm em comum uma coisa: pegam num parágrafo ou numa página de Séneca e exploram-na até à exaustão. Truque antigo. Também resulta com a música: muitas canções partem de uma melodia de Mozart, pescada algures, e desenvovem-na para instrumentos actuais.

Quando me aposentar vou explorar o filão, ganho um dinheirão e vou passar férias ao Butão! Pois então! Dlão! Dlão!

Fora de brincadeiras: este espaço blog é um lugar belíssimo. Parabéns e obrigado pelo que nos dá.