4.1.08

B(logo), existo ...


Quando respondemos em inquéritos, quais são os nossos hobbies, vejo-me sempre a responder as mesmas coisas: literatura; cinema; música e viagens (e estranhamente, viver).

Quando surgiu a decisão de criar este blog, mais não foi do que fazê-lo com um sentimento de partilha. Passado meio ano da sua existência, poderá ser altura de fazer um balancete e concluir que, a única coisa que lamento é não ter tido tempo para partilhar mais daqueles momentos.

Não se pense (embora se diga) que isto soa a qualquer tipo de vaidade ou exibicionismo. Errado! Se se tornou um espaço (muito) pessoal? Certo! Julgo que todos os blogs o são! Mas, só com a intenção de que, essa individualidade se transformasse em comunhão. Se li, se vi, se ouvi, se fui e se vivi, soa-me estranho o emprego de outra forma verbal que não seja a que reflecte a pessoa que fala, o agente da acção.

No entanto, na sua génese, este espaço pressupunha a presença de um nós: monge e eremita (pessoa com quem partilhei grandes momentos da minha vida, muitos serões de poesia e outras tantas loucuras sãs!, e que no espaço de vinte anos, só tomamos um fugaz café, numa soalheira tarde outonal) . Por isso, a vontade de blogar com o eremita foi crescendo, com a ideia de ouvir e saborear palavras sentidas para tentar (re)fazer a (re)construção de momentos perdidos de uma existência comum. Vejo agora que, em toda a congeminação deste espaço, o eremita, sem ser tido nem achado, boamente se prontificou também a partilhar alguns dos seus momentos tendo em vista talvez o mesmo objectivo. Grato, meu bom amigo!

Agora, quanto a todos aqueles que visitam este canto, são uma agradável companhia, serão sempre escutados e nunca ficarão sem uma palavra de volta.

Seja bem-vindo quem vier por bem!

monge

6 comentários:

avelaneiraflorida disse...

Amigo monge,

Este espaço, embora pessoal, tem sempre algo a dizer a quem o visita...
Por isso ele faz parte das minhas visitas diárias, e continuará a sê-lo, enquanto mo permitirem!!!

Sempre encontro nele motivo para descobertas que me encantam e partilhas que meixam vontade de querer saber mais!!!
Só posso agradecer que me tenham proporcionado momentos tão agradáveis!!!!
espero que continuem!!!!
Bjkas, amigo!!!

avelaneiraflorida disse...

Uma gralha pousou no comentário anterior!!!!

rectificando:

"partilhas que me deixam vontade"...

Ni disse...

... e existir assim, simples, profundo, comummente verdadeiro é a única forma de existir feliz connosco.

Há pouco que venho... mas por bem... existo.

monge e eremita disse...

Olá avelaneiraflorida

Julgo também ser esse um dos motivos: ter vontade de descobrir coisas que nos proporcionem momentos agradáveis que mereçam ser partilhados. Embora façamos construções pessoais de tudo o que nos sensibiliza, mostrá-lo aos outros pode ser uma forma interessante de que somos capazes de promover alguma sensibilidade, desde que sejamos autênticos e verdadeiros.
Que a tua vinda continue a ser tão agradável e enriquecedora como até aqui.

bj

monge

monge e eremita disse...

Olá ni

Nada melhor de que, realmente, existirmos felizes connosco ... sem dúvida a manifestação de vida mais autêntica que podemos assumir.

Ainda bem que existes ... por aqui.

Volta sempre.

monge

at ento disse...

Olá.
Muito bem dito. Quem escreve assim não gagueja...
Obrigado pela tua partilha, pois só comunicando é que temos conhecimento do bom que existe na face da terra. Estes momentos são lindos.
Uma abraço com a velha amizade.
Li Malheiro