2.6.07

Preâmbulo

A vida é um lugar estranho! Pois é.
Há palavras que encerram em si tanto significado que, quando lidas ou ouvidas, provocam tal efeito e desencadeiam tamanhas atitudes, não nos deixando indeferentes pela sua verdadeira intenção. Numa passagem do livro Até ao Fim (Vírgilio Ferreira) é dito por um dos personagens o seguinte: " a felicidade não se mede pela quantidade do que nos acontece de agradável mas pela quantidade de nós que responde ao que acontece". Absolutamente.
Não é este o sentido da vida? Não é esta a melhor forma de encararmos os prementes desafios quotidianos? Não será essa a capacidade de viver tranquila e intensamente? Talvez.
Cansamo-nos de diariamente nos interrogar, qual será o sentido disto tudo. Fartamo-nos de ouvir que a vida é isto, a vida é aquilo, a vida é tudo, a vida é nada, é um sonho, é uma farsa, é um martírio e uma lenta crucificação. Poderá ser tudo isso, mas de uma coisa fiquemos cientes: a vida acontece. Se bem que por vezes nos custe distinguir o sonho da realidade, não podemos abdicar da nossa condição vital de viver.
É redundante! Tudo bem. Mas não nos podemos limitar a uma simples existência sem sentir. Deixarmos que a vida nos absorva e nos sussure ao de leve todos os caprichos da sua vontade. Nem pensar! Temos que ser nós e temos que sê-lo logo, nem que para isso tenhamos que enfrentar perigos já experimentados. Temos que ser afoitos o suficiente para preferirmos aventurarmo-nos nas águas turbulentas do rio, em vez de permanecermos eternamente parados na margem.
Mas há dias em que somos docemente levados pela fantasia do sonho e da ilusão. Sejamo-lo também. Se somos capazes de sonhar, poderemos ser também capazes de tornar os nossos sonhos realidade. A vida é a única maneira de concretizar as nossas ilusões. Se temos por real o que existe, a ilusão existe porque é real. Além disso, todos nós sabemos que o sonho comanda a vida.
Pronto, chega de divagar. A génese deste blog surge pela vontade de partilhar todos os momentos que realmente nos tenham deixado qualquer marca na memória e a qual gostassemos de mostrar aos outros. E a memória tem raízes profundas!
Sem obedecer a qualquer temática, este espaço será aberto a todo o tipo de manifestação que se entenda livre e capaz de provocar nos outros sensações e emoções, a qual poderá surgir sob qualquer forma: imagem, fotografia, narrativa, poesia ou música. Isto é, tudo o que nos venha à cabeça.
monge

2 comentários:

porf disse...

Viva amigo, parabéns pela coragem/"inconsciência" de enfrentares este lugar comum (a vida é um lugar estranho)e pelo "bon senso" de convocares os "espiritos irrequietos" nesta exploração arriscada do evidente!...Obrigado pelo convite para a celebação do acaso e a partilha de sentimentos (vividos ou imaginados)Parabéns pela iniciativa e que este espaço (virtual)seja um lugar estranho..., qual terreno vago, marginal, onde a vida(também)acontece, com a utilidade das coisas banais...
Porque "tudo vale a pena,...", força amigo e companheiro! Tudo està ainda por descobrir!...Até breve: até ao entroncamento dos nossos pensamentos...

Atento disse...

olá, bem vindo ao mundo global que queremos cada vez menos estranho.
saudações atentas.
At Ento