1.9.08

ausência



Deliberada e conscientemente, daqui me senti ausente.

Contudo, a esta ausência não se lhe poderá chamar esquecimento, uma vez que se tornou em serenidade verdadeira, porque assim, a vontade da presença tornou-se mais fiel e mais intensa. Nem sequer se pode chamar ausência de sensibilidade, porque tudo aquilo que se lembra pode tornar-se felicidade de pensamento e confiança na ideologia das paixões.

Portanto, acredite-se na tranquilidade, presente em todos os momentos de tão longa distância.

12 comentários:

Blue Eyes disse...

Olá Monge:

"Se a tranquilidade da água permite reflectir as coisas, o que não poderá a tranquilidade do espírito?"

Chuang Tzu

Bem-(re)vindo...sentimos a tua falta!
Às vezes é preciso ter o 'descanso do guerreiro' e se durante esta ausência sentiste tranquilidade então valeu a pena.

Estamos quase de partida para a Suíça...

*** grandes e bom regresso ao trabalho.

monge disse...

Olá blue eyes

Palavras sábias as de Chuang Tzu ... nada melhor do que um espírito tranquilo. Embora, neste caso tenha sido mais um descanso da mente; em linguagem mais naif: formatar o disco ou limpar o caco.
Espero que a vossa partida para a Suiça seja um prenúncio de mudanças, acompanhado de muitas saudades na bagagem. Estaremos por aqui, onde serás sempre bem-vinda.
É verdade, "as" do Amadeus também são muito boas, mas eu moro por cima do K300.
bjs e felicidades

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Venho saudar o seu regresso. Que a pausa tenha servido para um retemperar de forças e volte com a energia necessária para nos "devolver" bons momentos de leitura

1/4 de Fada disse...

Foram umas férias boas, pelo que acabei de ler! Bom regresso, que já se sentia a tua falta!

1/4 de Fada disse...

Para o caso de não reparares, tens um desafio no post anterior.

avelaneiraflorida disse...

Amigo monge,

também de volta...
e quando revisito os cantinhos amigos sinto a tranquilidade que sempre neles me recebe!!!!!
Tudo de bom!!!!

monge disse...

olá Carlos
energia não falta ... falta é o maldito do tempo, esse eterno carrasco.
abraço

monge disse...

olá 1/4 de fada
espero que também tenhas tido umas boas férias ... sim, já reparei no teu desafio, o qual defrontarei, sem sombra de dúvida. obrigado pela lembrança

monge disse...

olá avelaneiraflorida
que bons ventos polenizem os teus sempre amáveis comentários ... e que por aqui te sintas tranquila, sempre
bjs

Ni disse...

Aqui... cá dentro... há coisas que (não) se sentem.
A ausência e a distância às vezes são precisas, porque nos fortalecem no caminho ao (re)encontrarmo-nos.

Foi a distância e o regresso mais tranquilo que saboreei.

Bjinhos

LeniB disse...

Sê "bem vindo"!!
Bom regresso.
bjs

duarte disse...

do saudosismo,fodeu-se-me o ismo e restou me saudade...
"saudade do futuro"é o único ismo ao qual mais me apego...
pois deliberadamente ausentes ó monge,é que todas as verdades e paixoes,aprecem armoniosamente unidas... cumprimentos do almada