28.2.08

"comunicare"



Não se justifica a presença do verbo comunicar.


Por ter em mente uma visão evolutiva da humanidade, as ideias surgem sempre.Isto tudo, para falar do homem de Neandertal.
Num programa do género, um cientista explicava a extinção desta raça, que tendo coexistido com o Homo Sapiens, com ascendência comum, não conseguiu evitar o seu desaparecimento. Algumas das descrições indicam o homem de Neandertal como excelente caçador, dotado de boa robustez física, detentor de cultura intelectual e o seu cérebro era, em média, ligeiramente mais volumoso. No entanto, extinguiu-se.
Não interessava muito ao senhor o estudo de todo o processo de quantificação comparativa das percentagens do DNA. Preferiu comparar o aparelho fonador de ambas as raças, concluindo que, pelo facto de o homem de Neandertal ter a laringe mais subida e não ter o céu da boca côncavo, a produção e variedade de sons eram menores. Logo, não conseguiu desenvolver um sistema de comunicação tão aperfeiçoado como o do Homo Sapiens.

A comunicação à nossa raça serviu para melhor organizar as caçadas, aplicar a defesa e o ataque quando necessários e também estabelecer relações sociais entre si. Organizar-se.


Nunca me fica preso, entre os dentes, um cumprimento para as pessoas que vejo diariamente. Deixa-me curioso a mudez de algumas delas. Porquê? Não querem comunicar? Já não vão comigo à caça!

Boa noite.

7 comentários:

Blue Eyes disse...

Olá Monge,

Muitos de nós ainda têm (ou temos momentos em que temos)dificuldades de comunicação.Eu adoro conversar...mesmo com pessoas que se cruzam comigo e que pura e simplesmente não conheço.Uma das coisas que mais me custou, quando saí da "santa terrinha" e fui estudar para o Porto, era cumprimentar as pessoas com um bom-dia ou uma boa-tarde na paragem do autocarro e ninguém me responder.Ficava fula!Depois lá nos vamos habituando...mas nunca deixei de o fazer!
É um facto que se a comunicação interpessoal melhorar..melhorará também a nossa qualidade de vida.
Já agora deixa-me dizer-te que a minha formação de base são as Ciências da Comunicação...agora complementada com as Ciências Documentais [especialização], variante Arquivo.
Bom fim-de-semana.Fica bem amigo.
Blue Eyes

Saúl disse...

Pois é, tomemos como exemplo os nossos governantes que devem directamente, e sem passar pela casa partida, descender dessa raça que morde pela calada...
Agora, depois do caldo entornado voltam-se para a discussão e a explicação quando já ninguém os pode, ou quer, ouvir...
Já deveriam estar extintos, mas em vez disso multiplicam-se, qual cancro, em todos os serviços, instituições, conselhos executivos, Câmaras... seguindo o exemplo do seu líder HOMOsócratesGAY !!!
Não gosto, mas ia à caça pra acabar com essa
(T)raça...

Claudia Sousa Dias disse...

Vi o programa...e gostei muito. Mas gostei particularmente daquele em que fala do Hobbit isolado na remota ilha da Indonésia...


CSD

Li Malheiro disse...

Olá .
Por isso é que o GRANDE Fernando Pessoa afirmou: A minha Pátria é a língua..."
Eu sou um "grande" caçador... de imagens, temos de fazer uma caçada um dia destes num canto qualquer do planeta azul com pulsar verde e uns por de sois vermelhos. Bendita terra. Fica o desfio.
Li Malheiro

Marta Sousa disse...

Ora cá está um tema interessante. A minha concepção para o desaparecimento da espécie é um pouco diferente. Acima de tudo passa pelo facto do "Homo-Neanderthalis" não ter a mesma capacidade de ocupar territórios como o Homo-sapiens e de apenas se confinar a uma região em particular na Europa e Ásia. Existem 3 artigos muito bons neste domínio:

DELSOL Michael, Le Hasard et L'évolution Biologique, 1986

ARSUAGA, Juan Luis, La Especie Elegida

FLÉAUX, Rachel, Neandertal l'homme de trop, sciences et avenir, 2002


Quanto à comunicação, é necessária hoje mais que nunca!

São disse...

Vim espreitar :gostei do que vi!
Fique bem!

avelaneiraflorida disse...

Amigo Monge,

e quantas vezes o silêncio não é também uma forma de comunicação?
A ausência de som pode ferir mas também pode serenar; a palavra dita pode queimar como pode abrandar um momento de raiva...
Nòs humanos temos essa capacidade.
Resta saber COMO efectivamente a usamos e COMO faremos a sua transmissão aos nossos descendentes....